O Que São as Festas que Curam

As maiores curas estão ligadas aos momentos alegres e felizes, mesmo a outra parte do processamento e resgate das tristezas, mazelas, traumas e medos também sendo muito importante. As Festas que Curam são um tipo muito especial de terapia e eventos de grupo.

Nossa loucura chegou ao ponto de termos sido, cada vez mais, afastados, inclusive por força de lei, da natureza, especialmente das nascentes dos cursos de água. O ser humano ficou tão ensandecido ao ponto de ter sido proibido de chegar perto das nascentes, pois tem destruído quase toda a natureza da qual se aproxima. A resposta de cura é voltarmos para a natureza em ambiente controlado, por períodos curtos e com atividades e propostas previamente estabelecidas, de modo a resgatarmos a memória da conexão com tudo o que existe, nosso poder interno, a capacidade de regeneração e autorrealização, o modo de interagir sem destruir, ao contrário preservando e resgatando.

Existem lugares específicos e excelentes para isso. É uma tarefa gigantesca a ser realizada por bilhões de pessoas em vários pequenos grupos, de forma gradativa. O objetivo é reunir as pessoas em Lugares Sagrados da Natureza, de preferência com cursos naturais de água, em eventos de dois a doze dias, em pequenos grupos, inicialmente entre 50 a 3.000 pessoas, dependendo das condições de cada local, força e estrutura de cada evento, em pequenos acampamentos, vilas ou aldeias eco e autossustentáveis especialmente montadas para esses dias.

Condição básica para esses encontros é o fato de, ao término do evento, o local ser deixado com o menor grau e índice de impacto ambiental possível. Deixando a natureza novamente quieta para se recompor, pelo período necessário, até o mesmo local estar em condições novamente de receber outro contingente de pessoas. Com estruturas bem montadas, todo o lixo reciclável gerado durante o evento deve ser levado de volta para de onde veio e direcionado adequadamente. Caberá à natureza processar o que ficar de resíduos orgânicos previamente deixados para compostagem, recompor-se nas áreas desbastadas para montagem de camping e trilhas, sedimentar e harmonizar as energias vibracionais mexidas no lugar durante o evento. Apenas e tão somente isso. Tudo o mais deve ficar novamente do mesmo jeito de antes do evento começar.

O retorno aos centros urbanos, após essas vivências com todos os direcionamentos descritos nos livros Aspectos Sociais da Cura e Festas Que Curam, acorda e desperta as pessoas, ancorando e mexendo toda a força necessária para a realização de toda a transformação social necessária para a Cura Planetária ampla, irrestrita e necessária para a sobrevivência da espécie humana e até mesmo da vida como um todo na Terra, inclusive a gradual e progressiva desconstrução das cidades.

Quando você tiver a oportunidade de ir a uma Festa que Cura. Aproveite.

Para começar, dois caminhos:

  • Veja sobre as Festas que Curam em um dos capítulos finais do livro Aspectos Sociais da Cura. (E-book gratuito).
  • Veja o vídeo abaixo dos Portais de Cura (Healing Gates) da Vivência em Cura falando da diferença entre a cura ortodoxa e a cura holística, aquela da qual falamos, tratamos e aplicamos todo o seu ferramental dentro das Festas que Curam. Nenhuma terapia séria é uma promessa de cura e sim, muito antes, um caminho a ser tentado. Se dê o presente. Tente. Embora não seja uma brincadeira é bastante gostoso e divertido de se fazer durante a maior parte do tempo. Caso os sintomas permaneçam, consulte um médico… 🙂


Saber Mais / Continuar:
Âncoras e Fundamentos =>